Ex-Bolsista publica livro sobre niilismo em Machado de Assis

O ex-bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Vitor Cei Santos, acaba de publicar o livro “A voluptuosidade do nada: niilismo e galhofa em Machado de Assis”. Trata-se de uma versão revista e atualizada da tese de doutorado defendida na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), com bolsa na modalidade doutorado-sanduíche na Freie Universität Berlin.

O livro apresenta estudo inédito sobre o maior escritor brasileiro. Publicada pela Editora Annablume, a obra convida a pensar o conceito de niilismo na obra de Machado de Assis, apresentando-o como um motivo condutor da ficção machadiana, e traz um diálogo com as principais influências e leituras filosóficas do escritor.

17102016 foto bolsista destaque 01

“Apoiando-me em leituras de Blaise Pascal, Arthur Schopenhauer, Friedrich Nietzsche e outros autores, eu busco demonstrar o quanto, na realidade, a ficção machadiana se distancia das concepções de pessimismo e niilismo, na medida em que as aborda com a pena da galhofa”, explica o autor.

O pesquisador conclui que Machado de Assis consegue ser um dos mais filosóficos dos escritores brasileiros. “Machado conseguiu de fato conciliar forma artística e conteúdo filosófico de um modo indiscutivelmente original e autêntico, ultrapassando o terreno puramente estético e literário em direção a uma problemática ético-política ainda atual”, ressalta.

O escritor e professor Gustavo Bernardo Krause, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, autor do texto de apresentação do livro, afirma que “Vítor Cei escreve um livro que é desde já referência obrigatória nos estudos machadianos, tanto nas faculdades de Letras quanto nas faculdades de Filosofia”. Olímpio Pimenta, professor titular da Universidade Federal de Ouro Preto, autor do prefácio do livro, endossa que “o lugar da questão do niilismo no âmbito dos estudos machadianos merece desde já ser revisto sob a ótica estabelecida por Vitor Cei”.

Pesquisa no exterior
Segundo Vitor Cei, um dos motivos pelo qual a bolsa de doutorado-sanduíche foi importante é a escassez de bibliografia especializada disponível no Brasil. “A pesquisa realizada nas bibliotecas da Alemanha, sobretudo no sistema de bibliotecas da Freie Universität Berlin, foi de fundamental importância para suprir as necessidades bibliográficas devido à ausência, no Brasil, de traduções, e mesmo de textos originais, de grande parte da bibliografia teórica a ser consultada”.

O período fora do país também teve relevantes consequências em termos teóricos e conceituais. “A experiência na Alemanha com bolsa da Capes foi fundamental para compreender o quanto, na realidade, a ficção machadiana se distancia das concepções de pessimismo e niilismo apresentadas por autores alemães como Arthur Schopenhauer e Friedrich Nietzsche”, define.

17102016 foto bolsita destaque 02

O pesquisador explica: “Ainda que recorra a citações e interpretações de clássicos europeus, ao invés de ler a obra de Machado de Assis pelo código cultural da filosofia ocidental, eu busco reler a filosofia ocidental pela obra de Machado de Assis, repensando a interpretação canônica do autor e ressignificando o conceito de niilismo, revelando a distância entre a construção nietzschiana e a experiência histórica do Brasil”.

Freie Universität Berlin
O doutorado sanduíche realizado na Freie Universität Berlin, na Alemanha, sob coorientação da professora Lígia Chiappini, permitiu a atualização de conhecimentos e a incorporação de novos modos de gestão da pesquisa em literatura comparada, com foco na interface entre um autor brasileiro, Machado de Assis, e um alemão, Friedrich Nietzsche.

“A coorientação da professora Lígia Chiappini, brasileira (nascida no Uruguai), professora titular de Literatura e Cultura Brasileiras no Lateinamerika-Institut da Freie Universität Berlin desde 1997, atualmente aposentada, foi de fundamental importância pelo reconhecido mérito de seu trabalho acadêmico e, especialmente, por sua experiência em pesquisas sobre as dinâmicas transculturais entre Alemanha e Brasil“, define Vitor.

O bolsista brasileiro desenvolveu o trabalho no Instituto de Estudos Latino-Americanos da Freie Universität Berlin. “O instituto reúne professores, pesquisadores e estudantes em torno da diversidade histórica das formas de representações literárias e culturais na América Latina em face de um mundo cada vez mais interligado. É o maior centro de estudos latino-americanos da Alemanha e um dos mais importantes do mundo“, enfatiza.

Desde 2010, o Instituto sedia o Centro de Pesquisas Brasileiras, núcleo de estudos interdisciplinares cujas atividades se concentram em projetos e pesquisas científicas – nos campos das Ciências Humanas e Letras – que tenham como perspectiva comum o estudo da inserção do Brasil no contexto mundial.

Filosofia da Literatura na Amazônia Ocidental
Após concluir o doutorado, Vitor Cei ingressou na Universidade Federal de Rondônia (UNIR), campus de Porto Velho, no cargo efetivo de Professor do Magistério Superior, em setembro de 2015. Os objetos de estudo do doutorado agora continuam como temas de pesquisa do professor.

“Desde o meu efetivo exercício, eu dou continuidade às pesquisas do doutorado, desenvolvendo projetos e atividades nas áreas de Literatura Comparada e Filosofia da Literatura, com ênfase, por um lado, nas possibilidades abertas ao pensamento filosófico pela cultura brasileira e, por outro, nas relações intertextuais da literatura brasileira com a tradição filosófica. Como conceitos filosóficos, ao mesmo tempo, fundamentam a crítica literária e se configuram a partir dela, ou seja, são gerados pelo exercício crítico, mas, ao mesmo tempo, fornecem a perspectiva que fundamenta a crítica literária”, define.

Em abril de 2016, Vitor fundou o Grupo de Pesquisa “Ética, Estética e Filosofia da Literatura”, registrado no Diretório de Grupos de Pesquisa no Brasil (CNPq). “Por um lado, a filosofia aparece como paradigma teórico para analisar as obras literárias e outras expressões artísticas, considerando-se que a obra de arte é uma entidade autônoma (no que tem de especificamente seu), mas também aberta a diálogos e interpretações de outros saberes e práticas. Por outro lado, as investigações apontam para as possibilidades oferecidas ao pensamento filosófico pela literatura, especialmente aquela de origem latino-americana e africana, mostrando que os conceitos da tradição ocidental são insuficientes para a devida compreensão das complexas experiências históricas e culturais em espaços e políticas não-europeus”.

17102016 foto bolsita destaque 02

O grupo pretende trazer uma contribuição à pesquisa teórico-prática da Filosofia da Literatura, agregando pesquisadores interessados em gerar conhecimento nesta área do saber, a fim de que a mesma seja fortalecida no Brasil e consolidada na Região Amazônica. “Sob a minha liderança, o grupo se propõe a ser um espaço de análise, reflexão, debate e crítica que congrega pesquisadores de diversas instituições e áreas do conhecimento. Seu objetivo principal é o estudo da filosofia em suas intersecções com a literatura e as outras artes, assim como da experiência estética e da teoria filosófica em suas convergências e divergências relativas à realidade histórica e à prática ética”, explica.

PDSE
O Programa de Doutorado-sanduíche no Exterior (PDSE) tem o objetivo de qualificar recursos humanos de alto nível por meio da concessão de cotas de bolsas de doutorado sanduíche às Instituições de Ensino Superior brasileiras (IES) que possuam curso de doutorado recomendado e reconhecido com nota igual ou superior a 3. As bolsas serão destinadas aos alunos brasileiros regularmente matriculados nos cursos de doutorado das IES participantes, com potencial científico para o desenvolvimento dos estudos propostos no exterior.

O PDSE foi instituído em 2011, em substituição ao Doutorado Sanduíche Balcão e ao Programa de Doutorado no País com Estágio no Exterior (PDEE). A alteração visou ampliar o número de cotas concedidas às Instituições de Ensino Superior (IES), e dar maior agilidade no processo de implementação das bolsas de estágio de doutorando no exterior.

A Pró-Reitoria de Pós-graduação das IES, ou órgão equivalente, é responsável por gerenciar as cotas, homologar as candidaturas, divulgar os resultados e realizar o acompanhamento dos bolsistas e egressos, mantendo a Capes informada sobre o andamento do estágio no exterior e garantindo o cumprimento das normas do PDSE.

A seleção interna de bolsistas pelas instituições de ensino superior aconteceram em setembro e as inscrições na Capes pelos candidatos seguem até 31 de outubro.

(Pedro Arcanjo)

Leia também:
Bolsista publica livro que figura entre os mais vendidos no exterior


Fonte: Agência CAPES

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *